País da verdade de cada um.



Ontem na aula de Didática a professora falou que antes da ditadura vivíamos em um país de verdades universais, e que no pós ditadura viramos um país de verdades de cada um. Realmente, hoje o que mais importa pra cada um é estar certo e a opinião do outro que se dane [o outro não sou eu mesmo...]!

As ‘Verdades’ pessoais se tornam verdades universais quando assim interresam, passando por cima de tudo e todos. Nesse passar por cima de tudo muita coisa, coisas que realmente importam, acabam atropeladas por isso. A cada nova verdade que surge frente a tantas outras só gera mais conflito... e de conflito em conflito se vive hoje.

Essa necessidade das pessoas de sempre estarem certas independentes da situação me irrita. Ninguém abre mão do seu direito de estar certo (mesmo estando errado). Verdades se tornam mentiras e mentiras verdades. E quem perde por isso? Nós mesmos e que nos cerca! Não acho que se tenha o que ganhar impondo sua verdade sobre os outros, outorgando sua opinião e menosprezando a pessoa do seu lado.

O Brasil é um dos países que mais tem leis, e pra que elas servem? Criarem uma sociedade mais justa e igualitária? Não meu caro, pra ajudar as pessoas a impor suas próprias verdades legalmente. Processos e mais processos são criados pra satisfazer os caprichos das pessoas de estarem certas [e pra elas se sentirem recompensadas financeiramente por tal! Afinal, nada é mais importante hoje em dia que dinheiro, não é?].

Ok, vou então agir com reciprocidade a esse mundo! Imporei minhas verdades, que por serem minhas e beneficiarem a mim são as melhores verdades existentes, e mostrarei ao mundo o quão cego ele é! Umas amizades perdidas, olhares frios e pessoas falsas ao meu redor é um preço baixo a se pagar por isso... Afinal, estou certa, não? E ai de quem tentar sobrepujar minha verdade, será humilhado e reduzido a categoria de nada. Legal viver assim, né? Cria-se sua própria verdade para se convencer alguém, passasse a acreditar nessa verdade fervorosamente e a partir daí surgem brigas e discussões desnecessárias, que um simples ‘Me desculpe, eu errei!’ evitaria.

Admitir o erro é difícil... muito difícil! Quem o faz pra mim é digno de admiração, pena que são poucas pessoas. O ser humano é passivo ao erro, mas se esquece... Prefere viver pela filosofia do ‘errar não é humano, depende de quem erra’. O próprio erro nunca é admito, ele vira uma verdade frente ao outro... o verbo se tornou ‘eu NÃO erro, tu erras, ele erra...’. Erros que tendem a se transformar em verdades, e de tal gerarem o caos em que vivemos.

Acho que sou uma pessoa perdida nesse mundo de hoje, uma que ainda vive naquela das verdades universais, sabe? Quem sabe me encontro por aí um dia... Quem sabe esse mundo muda, ou mudo eu...

sexta-feira, 30 de maio de 2008

Bate no peito e diz que é BRASILEIRO!



É, brasileiro, ta na hora de mostrar sua cara!
Uma coisa que acho muito estranho é como o brasileiro só mostra seu nacionalismo na Copa do Mundo e olhe lá!
Um brasileiro não sente orgulho de tal...
Um brasileiro não defende seu país...
Um brasileiro não luta pelo Brasil...

Pra ele tudo já está perdido, sempre esteve... Afinal, o Brasil é um país fadado ao fracasso pelo seu próprio povo!

Os filhos da nação do mal [ =EUA] por mais dominador e aniquilador que seja seu país, acima de tudo são Americanos, e com muito orgulho! E eles não precisam achar que seu país não tem problemas, eles apenas acreditam que enquanto nação podem sempre buscar ser o melhor. A ótica adotada por eles é a de superioridade de seu país, se eles não acreditassem tanto em seu país não seriam hoje a superpotência que são. Eles assim construíram seu país desde sempre.

Israelenses... Afegãos... Iraquianos... Espanhóis... Colombianos... Argentinos... Alemães... e tantos outros defendem suas pátrias, lutam por elas, morrem por elas!
Esses sim batem no peito e dizem com orgulho que moram em seus países!
Desde crianças esse sentimento de amor e devoção é transmitido... inserido na cabeça dessas crianças!Aqui como é?

Na escola aprendemos a respeitar nosso país, conhecemos um pouco sobre ele, alguns feitos, um pouco de realidade e etc .
Mas tudo isso é mero formalismo. Não vejo um livro didático, um professor que passe ao aluno o sentimento de identidade nacional que supostamente deveria existir.
Ninguém diz a nossas crianças "Somos o país do futuro" por que ninguém acredita.
Esse circulo de descrença no Brasil acaba se estendendo ao brasileiro... e acaba que ninguém mais acha que algo pode ser feito, ninguém mais se lembra que é o povo que faz seu país e assim como ele o faz ele pode refazer-lo! Podemos não ter a melhor história do mundo dobre nossa colonização até os dias de hoje, mas não precisamos perpetuar isso pelo futuro a fora também. Não precisamos ter vergonha de sermos brasileiro, temor que ter vergonha dos brasileiros que nos tornamos!

Um país é a imagem e semelhança de seu povo... e basta o povo querer que ele pode mudar! Não é fácil, mas também não é impossível. Mas povo que deveria lutar por seus ideais, por seu país é um povo que se deixou conformar e alienar... é o povo que se o Brasil ta na copa, ta ótimo, ... é mesmo que pensa que isso tudo já era, pois todos os políticos são ladrões miseráveis. É assim que querem (mídias e elites) que o povo veja, é assim que ele vê. Enquanto o interesse de uns é preservado está tudo maravilhoso.

Ta na hora desse Povo acordar e ver que se ele quiser isso muda, que ele não é obrigado a deixar que isso siga como está. O povo tem o poder, falta saber como usá-lo. Queria ver o dia em que todos acordassem e colocassem a 'mão na massa' e moldassem esse país... Transformassem ele em um país de verdade, um país digno de todos... Um país de todos e pra todos!

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Vivemos esperando...



“Vivemos esperando o dia em que seremos melhores, melhores no amor, melhores na dor, melhores em tudo”. E de esperas vamos vivendo! Espera-se o dia em que se tornaremos pessoas melhores porquê se espera que o outro mude antes de você mudar. ‘Por que eu tenho que ser diferente quando todos são iguais?’ Você não é fulano, não é cicrano... Você é você e tudo o que você é depende única e exclusivamente de você!
A maior desculpa pra não se realizar algo é a inexistente dependência do outro para tal... e dessa incoerente afirmativa se constrói o mundo em que estamos!

“É difícil tentar ser uma pessoa melhor nesse mundo em que cão come cão!”
“Como posso mudar minha atitude se o meu próximo não muda a dele?”
“Não adianta lutar pelo que a maioria não quer.”
“Fazer algo pra reverter a situação em que nos encontramos é difícil, pois isso dependeria e todos e não só de um...”


“Uma jornada começa sempre com o primeiro passo”, mas por que dar o bendito primeiro passo parece tão difícil? Por que tentar mudar o caminho parece tão difícil? Porque mudar de postura parece algo inatingível?

Pensar num novo caminho, novo objetivo ou sonho é fácil... Lutar por este é que parece o impossível! É o de sempre... Só se fala e nada se faz, em todos os sentidos, em tudo! Seja na política, escola, hospitais, amigos ou família. Nada se faz, nada se busca, apenas se espera... Espera-se a solução pronta e acabada, vinda dos céus diretamente para a mão de quem a espera!

“Tudo pode ser, se quiser será” (é, Xuxa! Mas se liga na letra e não em quem canta!) as coisas são como queremos e permitimos... Nada é o que é por mero acaso do destino. Basta se querer que pode se tornar possível! Se quiser será... Querer não de bracinhos cruzadinhos sentadinho na poltroninha da sala vendo a ‘Sessão da Tarde’. Esse é aquele querer que implica no fazer!

Toda ação tem sua reação... Promova a ação e aprecie sua reação!

sábado, 24 de maio de 2008

Tire as vendas e veja além!




É tão mais fácil se limitar a ver o que está na cara... ler nas entrelinhas, ver o que esrá por traz de tudo é que é o dificil!
A maioria das pessoas [praticamente todas!] se limitam a apenas isso, ver o que está na sua frente e acreditar naquilo sem ao menos se questionar sobre ou pensar sobre o que está vendo...
Viu na tv...
Viu no Jornal...
Viu na Internet...
Ouviu no radio...
Viu, ouviu, viu...

e fica nisso, não busca ir além! As pessoas se limitam a usar as viseiras que lhes foram colocadas [principalmente pela mídia] e a não questionar ou pensar sobre nada.
A informação pronta, pensada por eles, é a única verdade absoluta.. e assim eles vão vivendo em seu mundinho de ignorancia, cercados de falsas verdades e iludidos com o mundo!
Um mundo de alienados e de bestializados!


domingo, 18 de maio de 2008

EU SEI, MAS NÃO DEVIA



EU SEI, MAS NÃO DEVIA

Marina Colasanti



Eu sei que a gente se acostuma.

Mas não devia.



A gente se acostuma a morar em

apartamento de fundos e a não ter outra vista

que não as janelas ao redor. E porque não

tem vista, logo se acostuma a não olhar para

fora. E porque não olha para fora, logo se acostuma

a não abrir de todo as cortinas. E porque

não abre as cortinas, logo se acostuma a

acender mais cedo a luz. E porque à medida

que se acostuma, esquece o sol, esquece o

ar, esquece a amplidão.

A gente se acostuma a acordar de

manhã, sobressaltado porque está na hora.

A tomar café correndo porque está

atrasado. A ler jornal no ônibus porque não

pode perder o tempo da viagem. A comer sanduíches

porque já é noite. A cochilar no ônibus

porque está cansado. A deitar cedo e dormir

pesado sem ter vivido o dia. A gente se

acostuma a abrir a janela e a ler sobre a guerra
.

E aceitando a guerra, aceita os mortos e

que haja números para os mortos. E aceitando

os números, aceita não acreditar nas negociações

de paz. E aceitando as negociações

de paz, aceitar ler todo dia de guerra,

dos números da longa duração. A gente se

acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no

telefone: hoje não posso ir. A sorrir para as

pessoas sem receber um sorriso de volta. A

ser ignorado quando precisava tanto ser visto.


A gente se acostuma a pagar por tudo o

que deseja e o que necessita. E a lutar para

ganhar o dinheiro com que paga. E a ganhar

menos do que precisa. E a fazer fila para pagar.

E a pagar mais do que as coisas valem. E

a saber que cada vez pagará mais. E a procurar

mais trabalho, para ganhar mais dinheiro,

para ter com o que pagar nas filas em que se

cobra.

A gente se acostuma a andar na

rua e ver cartazes, a abrir as revistas e ver

anúncios. A ligar a televisão e assistir a comerciais.

A ir ao cinema, a engolir publicidade.

A ser instigado, conduzido, desnorteado,

lançado na infindável catarata dos produtos.

A gente se acostuma à poluição. À

luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que

os olhos levam na luz natural. Às besteiras

das músicas, às bactérias da água potável. À

contaminação da água do mar. À luta. À lenta

morte dos rios. E se acostuma a não ouvir passarinhos,

a não colher frutas do pé, a não ter

sequer uma planta.

A gente se acostuma a coisas demais,

para não sofrer
. Em doses pequenas,

tentando não perceber, vai afastando uma dor

aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá.

Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira

fila e torce um pouco o pescoço. Se a

praia está contaminada, a gente só molha os

pés e sua no resto do corpo. Se o trabalho

está duro, a gente se consola pensando no

fim de semana. E se no fim de semana não há

muito o que fazer, a gente vai dormir cedo e

ainda satisfeito porque tem sono atrasado. A

gente se acostuma para não se ralar na aspereza,

para preservar a pele.

Se acostuma para evitar feridas,

sangramentos, para esquivar-se da faca e da

baioneta, para poupar o peito.

A gente se acostuma para poupar a

vida.

Que aos poucos se gasta, e que, de

tanto se acostumar, se perde de si mesma.



[Não se deixe acostumar!]

quarta-feira, 7 de maio de 2008

O que torna o ser humano um idiota?



Bom, uma das coisas com certeza é a sua incapacidade de ser gentil e amigável como a maioria dos animais [sim! Um cachorro é mais amigável que um humano!]...
O q me deixa mais indignada nisso?
É a falsidade com a qual as pessoas se tratam!!! Precisa de você: querida(o)
Não precisa: vai se danar!

Achou familiar?
Isso ñ posso generalizar..
(pois a maioria das pessoas não é assim 100%)
Mas quem é assim com certeza tem sérios problemas...
Por quê? Bom, porque uma hora as pessoas descobrem que você é assim...
E o q acontece?
Você acaba sozinho e abandonado!
Ainda vai dizer que não sabe porquê isso aconteceu com você, uma pessoa tão legal com todos!!
Só que com certeza o fato de ter tratado mal as pessoas com certeza nem mesmo será lembrado...

Não estou sugerindo que se crie um mundo ideal onde todos se tratem bem!
Isso é uma utopia! Impossível!
A única coisa que penso ser interessante é uma pequena revolução interna, dentro de cada um... Reavaliar suas atitudes para com o próximo e consigo mesmo!
Talvez haja resultado... Talvez esteja sendo otimista....
Não sei... Prefiro acreditar que daria certo! Por quê não?

(Exteriorização de parte das minhas revoltas com a sociedade mesquinha em que vivemos...)

domingo, 4 de maio de 2008

Brasil, um país sem educação.



Há de se admitir que o Brasil não é um país voltado pra educação. Muito se fala, muito se critica, muito se opina e nada muda. Está tudo errado, do investimento destinado à educação aos prédios escolares. Quem tem vontade de estudar num local que se parece com uma prisão? Pois é assim que são as instituições de ensino público por aqui. Nossas escolas estaduais e municipais, por exemplo, não conheço uma que não seja repleta de grades. E pra piorar, além de grades, muitas escolas são tão mal conservadas que chegam a parecer calabouços as salas de aula.

É difícil encontrar uma escola pública (pra não dizer raro!) uma escola que funcione satisfatoriamente. Em geral bibliotecas estão fechadas e desatualizadas, os laboratórios de informática desativados, as salas de aula em estado de miséria e abarrotadas de alunos até o teto, professores insatisfeitos, alunos desinteressados...

O que falta na educação? Creio que desde investimentos suficientes até profissionais que realmente entendam o que é lidar com algo tão importante. A Educação Básica está abandonada, justamente onde mais se deveria investir menos se investe. Resultado: alunos semi-analfabetos ou analfabetos funcionais se formando. Para se reduzir níveis de repetência e evasão escolar adotou-se o sistema de aprovação automáticas e de ciclos, o que desestimula mais ainda o aluno a estudar (uma vez que este só o faz para ganhar nota e ‘passar de ano’).

Às vezes me pergunto, o povo brasileiro está preparado pra estudar e aprender? Aprender mesmo, não para uma prova, mas para sua vida... Aprender por gostar. Muitas vezes acho que não. Aprender virou sinônimo de decorar, saber ‘de cor’ é saber sem aprender. Pouquíssimas pessoas vão à escola com o intuito de aprender, com vontade de saber mais, com curiosidade sobre as coisas que as cercam. Não acho que seja necessário ir à escola pra aprender, se tornar uma pessoa instruída e pensante, é perfeitamente possível ser assim sem nunca ter pisado em uma escola, mas a escola tecnicamente existe pra isso e não cumpre seu papel, devido a uma série de fatores que vão desde os alunos desinteressados até professores desacreditados.

Encaro a escola hoje (e sempre) como um instrumento de dominação da elite dominante, um lugar onde se aprende a ser o cidadão que eles querem que você seja, é o local onde você aprende a se encaixar nessa sociedade injusta que vivemos e a achar isso perfeitamente normal e imutável. É triste pra mim enquanto professora dizer isso, mas é assim que é, assim que foi, e possivelmente assim que será.

Dentro da educação poucos são os que realmente fazem a diferença e rompem com esse vinculo de dominação imposto pela sociedade. Minha meta é fazer parte desse grupo, por isso quis ser professora. Mudar as coisas não é fácil, tentar mudá-las pode ser arriscado... Mas permitir que as coisas continuem como estão é deixar que o brasileiro assine seu diploma com o polegar eternamente. A mudança não será nem hoje nem amanhã, mas ela precisa começar. O Brasil ainda tem muito o que aprender!

quinta-feira, 1 de maio de 2008