Não se fazem mais crianças como antigamente.



Tenho ouvido minha linda priminha pedindo um tênis Y pra seus pais, porque em sua escola todos tem menos ela (-“Mãe, é igual ao da Aline. Ela tem, também quero um” e danou a chorar [¬¬’]). Poxa, quando eu quis o tal tênis Y eu trabalhei [um cado, já que o tênis Y não é barato e eu sou uma professora sem carteira assinada.rs] e comprei... Não digo pra ela fazer o mesmo, já que trabalho infantil é crime [ainda]. Lembro de quando eu era criança, o muito que pedia a meus pais era R$ 1 pra comprar um Kinder Ovo, e olhe lá...

As crianças antigamente ficavam todas felizes com suas imitações da Barbie ou dos bonequinhos dos Cavaleiros do Zodíaco, passavam o dia a brincar na rua com os amiguinhos e isso tava ótimo pra eles. Elas não se preocupavam com marcas, novelas [exceto Chiquititas], não se preocupavam com festas pra ir nem com namoradinhos(as). Falo de crianças até uns 11 ou 12 anos, mais que isso hoje em dia já é adulto.

Me impressionei uma vez com a conversa de 2 alunos meus de 11 anos (‘caraca, hoje quase beijei a menina que o P ama’ ‘sério? Que legal! Porque não beijou de uma vez’ ‘porque foi sem querer, mas quase fiz isso. Quero ver quando o P descobrir! Rs’). Me impressionei com aquilo e perguntei se eles já namoravam. A resposta foi: ‘Namorar, namorar não teacher... Agente só fica!’. Não quero nem ver essas crianças com a minha idade. Se aos 11 estão assim, imagine aos 19. O que me espanta é que as vezes acho que sou mais criança que as crianças pras quais dou aula!

E não é assim só com as crianças maiores. Ano passado trabalhava com Educação Infantil, e me assustava com cada coisa que as criancinhas de Pré e CA falavam [e acredite, elas sabem muito bem o que estão falando!]. A inocência das criancinhas foi pras cucuias, elas agora saem da primeira infância diretamente pra adolescência.

A coisa ta feia. Os meninos querem andar como surfistas mirins, e as meninas como a Barbie [o mais Paty possível!], e detalhe as roupas tem que ser das marcas X, Y e Z senão não servem. As crianças mais avançadinhas proclamam em seus MSN’s, Orkuts e apelidos o quanto são ‘gostosas’, ‘perfeitas’, ‘invejadas’... Fora as músicas! Antes uma menina [ou menino também!] ouvia Xuxa ou Eliana aos 10 anos, hoje os ídolos são as Pussycat Dols, Britney, Snoop Dog... e no mais leve, RBD. Elas sabem todas as letras e seus significados, praticam e vivem isso. Pra mim, deprimente!

Acho que eu parei no tempo e não acompanhei as mudanças do mundo, ou o mundo que está fazendo as crianças virarem... Talvez por eu ter vivido uma coisa de cada vez, ter feito coisas de criança quando eu era criança. Só sei que não deveria ser assim. Crianças deveriam ser crianças, adolescentes, adolescentes, e adultos voltarem a ser crianças quando necessário.

segunda-feira, 2 de junho de 2008

2 Comments:

Leandro Marlon said...

Crianças hoje são imagens dos adultos.
Infelizmente, essa é a essência do nosso mundo.
Cabe a cada família fazer a sua parte.
Cabe a sociedade dar o basta ...
Mas eu pergunto: Eles querem???

Anônimo said...

Por que as crianças de antigamente trabalhava livremente