Expectativas de uma quarta-feira.


Dia 22 de Julho, início do período acadêmico na universidade e dia de expectativas.
Acordei cedo e peguei o trem rumo à Central, junto com meu pai [Os pais levam os filhos no primeiro dia de aula.. rs]. Um Trem cheio com trabalhadores, estudantes, pregadores, mulheres, homens, crianças, jovens... [surpreendentemente sem vendedores].
Pessoas que estavam alí por diversos motivos, bem arrumadas ou não, cheirosas ou não, felizes ou não. Pessoas diferentes, situações diferentes, pensamentos diferentes.
O meu estava focado na universidade e no que encontraria lá.

Esperava encontrar lá filinhos de papai usando marcas caríssimas m pouco na cabeça. Esperava professores mais rígidos e sérios, sem aquele coleguismo no olhar.Esperava um Campus super bem organizado [e com metade do tamanho que tem]. Esperava uma super infraestrutura. E finalmente, esperava me achar perdida naquele mundo onde tudo era pra mim desconhecido.

Central. Depois de uma leve enrolação, eis que pego o ônibus. Lá me concentrei na paisagem... Eram 8 da manhã, chega de expectativas um pouco.

Finalmente o 401 entra na Rua do Bispo e eu chego [atrasada!] a universidade. Não senti lá tão estranho como imaginava. Peguei meu horário e fui pra uma sala do 3° andar no bloco D.
Subi a ladeira do Sufoco [é esse o nome mesmo!]e entrei no Prédio. Corredores... Salas... De uma certa forma me lembravam o meu antigo Campus. Chegando no corredor da sala qual não é minha surpresa ao encontrar um rosto conhecido. Uma colega que se formou comigo no Normal. Nós e um aluno, meu pai, e uma professora de outra turma conversávamos enquanto esperávamos minha professora. As 8 e 14 desistimos e fomos ver se teria mesmo a aula. Desorganização! A sala havia mudado e não avisaram.
Quando finalmente chegamos na sala 607 do bloco J encontrei uma turma com pessoas comuns, uma professora bacana [pelo menos até agora.. rs] e tive uma 1ª aula muito tranquila.

Depois dessa aula descobri mais desorganizações... Não se pode confiar nem mesmo no seu horário de aulas fornecido pela universidade. Tentei ir à gerência academia e: Lotado! E assim retornei a minha casa depois do 1° dia de aula. Não foi o que esperava totalmente, mas não foi pra mim decepcionante.

Julguei o livro pela capa, e aparentemente me enganei. Fazemos muito isso sempre. Esperamos uma coisa, e acaba sendo diferente.
Esperamos que as pessoas sejam de uma forma...
Esperamos que as coisas saiam de uma certa maneira...
Esperamos muitas vezes que o que esperamos aconteça.
E por vezes acabamos nos decepcionando com o que vemos.

Esperar demais de algo acaba muitas vezes trazendo frustração... e essa frustração pode se transformar em outras coisas [revolta, indignação, raiva...]. Tem gente que espera demais de coisas que não são como ela quer.

Uma coisa aprendi há muito tempo: aprendi a não esperar demais de algo ou alguém, pois a decepção pode acabar sendo inevitável.

quarta-feira, 23 de julho de 2008

6 Comments:

Leandro Marlon said...

é ... esperar demais,
é complicado, pois o ser humano é composto por muita expectativa em tudo. Desde no presente que pode ganhar até mesmo nos pais que sempre estiveram por perto ...

Mas são coisas da vida,
Temos é de estar preparados para tudo!
[Se bem que nunca estamos!]

Yellow Fox said...

Nossa, que coincidência! Socrática Ironia? E justo hoje que mudei a frase de boas vindas de meu blog? Humm... realmente é uma coincidência! Agora só falta ver quais serão as conseqüências! Legal seu blog e quem sabe vc não dá uma passada no meu? ;) Volto aqui outro dia!

Dr. Verdade said...

Interessante tudo.
Devo dizer que és uma bela pessoa a se conhecer.
Se permitires, a venusologia poderá ajudar.

Dr. Verdade said...

E a venusologia está aqui para ajudar!

Dr. Verdade said...

me add no msn

saradaodabaixada@hotmail.com

Yellow Fox said...

Tb te linkei no meu! Vou voltar aqui mais vezes e pretendo continuar com meu blog. To achando divertido. ;)