Vivendo à sombra de medos.



Ok! Tenho que admitir que não sou a pessoa mais corajosa do mundo (sou até medrosa demais as vezes!). Mas uma coisa que procura fugir às vezes é dos meus medos. Tento não ser guiada por eles... Não deixar de fazer o que quero por causa deles. Imagine-se uma pessoa guiada por medos? Ir à esquina seria sua maior aventura, não? Não quero ser assim e não gosto, e acho que ninguém deveria ser. Concordo que vivemos em uma sociedade que nos inspira medo até dizer chega (e bota medo nisso), mas temos que aprender a conviver com isso... e assim vamos vivendo.

Ter medo é normal. Faz parte de uma pessoa normal sentir medo, e isso não é vergonha nenhuma. Isso faz parte do instinto de proteção que temos (afinal, viver é bom e eu gosto!), é natural e instintivo. Agora o excesso dele é que o problema. Devemos evitar o medo irracional.

Tem gente que pensa em todos os detalhes possíveis e imagináveis, todas as situações de perigo que podemos viver ou não, por mais remotas que sejam. Vivem pensando “não farei isso por que tal coisa pode acontecer”, “não vou a tal lugar porque pode ser perigoso”... E vivem uma vida de coisas que não fazem porque tem medo de que algo possa vir a acontecer ou não. Não é legal ser assim... Pense no quanto se perde, no quanto não se vive. Deprimente! Convivo com pessoas assim, e um medo que tenho é acabar igual a elas.

Se arriscar um pouquinho mais, tentar uma coisa nova, ir a um lugar diferente... deve ser de lei na vida de qualquer um. Libertar-se de uma gaiola que você mesmo criou pode não ser fácil, mas não custa tentar.

Você tem planos... Tem idéias... Tem vontades... Tem objetivos... Você tem medo! Agora pense, o medo te impedindo de realizar algo é uma coisa boa? Quando ele te limita (você se limita) a uma certa “segurança” (posição confortável ou total medo do novo e desconhecido) ele é uma coisa benigna? Claro que não! É apenas uma forma de morte lenta (e dolorosa).

Deixemos nosso medo restrito ma categoria de precaução e “preservação”, vamos ter medo de coisas reais (violência, situações específicas, bicho papão...) mas sem deixar que isso nos prejudique a vida e a sanidade mental! Deixe seu medo com medo e mostre sua cara, mostre do que você é capaz... VIVA! Ou, se preferir, viva a sombra de seus medos...

quarta-feira, 2 de julho de 2008

1 Comment:

Leandro Marlon said...

É isso que eu falo ... minha namorada é espetacular, pois veja como tão bem escreve ...
Acredito que alguém tinha medo de escrever publicamente, não?
Veja agora, demonstra enorme talento e inteligência para propiciar aos que aqui entram enorme aprendizado!!!
Por isso concordo com você, e, acho que a questão de medo tem de ser levada a respeito quando este envolve a vida de alguém ...
Mas nas outras coisas, se não fizermos, teremos sempre esse medo do 'o que faremos SE...'