Amizade.

Num dia de Fevereiro de 2001 duas meninas iniciaram a 7ª série, numa escola nova pra ambas. Escola que trazia certas expectativas pra ambas. O novo: novas pessoas, novos professores, novos colegas. A primeira delas chegou cedo pra sua aula, veio trazia pelo pai, e ao chegar na sala, talvez por sua timidez, deu uma profunda olhada a sua volta e se afundou na cadeira, escondendo seu rosto por entre os braços cruzados na mesa e seu cabelo comprido com franja. Sua franja lhe permitia espreitar quem passasse sem que as pessoas percebessem isso. Ela viu algumas pessoas passando, pessoas que seriam seus colegas de classe, mas por ser tão retraída, nesse primeiro dia ela preferia sentar-se só. Nas escolas quem é diferente da maioria costuma ser alvo de piadas, e ela por ser muito magra e alta pra sua idade algumas vezes era, por isso talvez um certo receio de seus novos colegas.

Eis que ela chega, uma menina um pouco mais baixa que ela, longos cabelos sorriso simpático senta a seu lado e decide puxar conversa. As suas se tornaram inseparáveis na escola, sempre juntas. Nem o período de férias escolares sem se falar esfriou a amizade. Assim se passou a 7ª e a 8ª chegou. Uma delas pensou em tentar a carreira militar, a outra teve medo de perder a amiga. Fim do ano de 2002 e a decisão: ambas fariam normal, juntas!

E o normal e inicia. Alguns colegas iguais outros novos. Professores inesquecíveis e outros indiferentes na nossa formação. Seminários brilhantes, trabalhos difíceis, estágios intermináveis e relatórios e mais relatórios. Camisa branca, saia de tergal pregueada, meia 3/4, estrela, lenço em forma de nó e broche da escola [este último só no 4º ano, rs]. Quatro anos assim, mas é claro que o 4º e último foi o mais difícil: vestibulares, carga horária maior nos estágios, mais e mais seminários, formatura e, ele, o medo do fim. Eram 5 anos juntas, tempo demais pra se acabar assim com uma formatura. Mas em fim a formatura chegou, e com ela a despedida. Não, não nossa despedida, mas da escola que nos juntou.

Veio 2007 e mesmo não se falando tanto como de costume elas procuravam se falar quando podiam (de vez em nunca! rs), mas isso não esfriou a amizade. Agora 2008 segue da mesma forma. As vezes nem parece que moramos a 20 minutos de ônibus uma da outra, como ela diz, mas a grande amizade é maior que nossos horários e afazeres tão diferentes e instáveis. Mas isso tudo me serviu pra uma coisa, saber que uma grande amizade não pode ser atrapalhada por objetivos e metas diferentes.

A amizade existe na diversidade, alegria, sofrimento, dúvida, distância, incerteza, nos dias de sol e de chuva, ou naqueles em que não se tem nada a fazer a não ser andar sem rumo em um por-do-sol. Isso que vi nesses 7 anos.

Acho que tudo isso é uma forma de eu dizer Feliz Dia do Amigo meio atrasado, mas a intenção que vale! rs

Então...



Nath, Feliz Dia do Amigo!

terça-feira, 12 de agosto de 2008

1 Comment:

Leandro Marlon said...

É...
Amizades...
São raras. Oficialmente temos muitos colegas, muitos contatos, mas poucos amigos.
Amigos são aqueles para todas as horas, todos os momentos, todas as situações - mesmo que seja para desejar feliz aniversário alguns dias depois nos acordando... [haiahiuaia]
Mas amigo é isso,
São especiais e ponto.
Só de se saber que estão sempre lá já é de abrir um sorriso...

=D