Eee.. Culpado!

Voltei antes do que pensava... mais uma vez condições favoráveis. Mais uma vez, então, vim escrever uma coisa meio que sem nexo, mas que pra mim faz sentido... mesmo que todos discordem de mim! Afinal, escrevo, por incrível que pareça, pra mim... Os comentários são apenas o resultado de um dia que, por acaso do destino, o texto tenha saído bom! rs

Bem, porque esse título? Simplesmente por que muitos não juízes fazem isso todo o tempo, julgam mas pessoas ao modo que querem. Primeiramente e antes que qualquer coisa seja dita: não é que eu também não julgue pessoas, mas eu apenas procuro ver primeiro os meus erros antes de condenar alguém a eterna culpa diante dos meus olhos [eterna culpa até eu perdoá-la, pois quem sou eu pra culpar alguém pra sempre... rs].

Mas, voltando, as pessoas gostam de julgar. Julgam pra disfarçar o quanto são pequenas, erradas, por serem julgadas, por querer esconder dos outros seus próprios defeitos ou para procurar nos outros defeitos maiores que os seus? Não sei, só sei que julgam, e o fazem muito. Essas pessoas podiam aproveitar o tempo que estão muito ocupadas, julgando alguém e a condenando ao mármore do inferno, pra fazer não só uma auto-análise de si, mas também ver o que pode ser mudado em si próprio. Sabe, um aprimoramento do ser [coisa filosófica! rsrs].

Devo admitir que nessa parte ando meio falha. Até vejo meus próprios defeitos, mas é difícil corrigi-los. Não que seja fácil pra alguém, mas muitas vezes é questão de se tentar com vontade. Não ando com vontade ultimamente de fazer nada que me exija muito sacrifício ou esforço [já basta as faculdades e o trabalho], mas buscar o aprimoramento do espírito é a meta da humanidade então lá vou eu! [Tentar pelo menos. Não dói tentar mudar].

Talvez se todos buscassem esse aprimoramento ao invés de achar os defeitos dos outros as coisas fossem um pouco melhores... quem saberá? [eu e minhas teorias de como mudar o mundo...].

PS.: Bem, não precisa comentar [ler já é castigo suficiente!]. Zoa...

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Por isso eu corro demais?!

Resolvi aparecer! Aproveitar que as circusntancias me são favoráveis pra escrever... rs


Bem, quem me conhece sabe que vivo correndo de um lado pra outro, sempre atarefada, atrazada, ou com algo importante por fazer. Assim são meus dias. Devo dizer que, mesmo as vezes cansada disso, estou acostumada. Acho que sempre fui atarefada... [mas sempre tive um tempinho pra ficar de boresta também, tempo este que ultimamente me é mais escasso].


Hoje, nesta bela segunda feira de primavera, onde o Sol em meio as nuvens cinzas criou um lindo efeito na folhagem das plantas, acordei meio em cima da hora pra faculdade. Tomei café, me arrumei correndo, e, por ter acordado tarde, perdi o trem das 8h. Depois, já no trem, a maquinista [sim, era uma mulher!] avisa que o trem seria vistoriado e que quem quisesse podia trocar de trem, e lá fui eu, já atrasada. Chegando na Central corri pra pegar a última kombi [depois das 9 e 40 não há mais kombis e o bus passa uma vez na vida e outra na morte]. Pronto, cheguei à Universidade, depois de uma corridinha básica até a sala [quase morri subindo a a escadaria da Ladeira do Sufoco], e, chegando lá, vejo que não haveria nem aula nem prova! Bastava apenas assinar a lista de presença e ir embora. Corri tanto pra assinar uma lista que poderia ser assinada até as 11 e 40.


É, depois disso tudo percebi que as vezes se corre demais por coisas de menos. As vezes deixa-se de apreciar a paisagem [e a companhia] pela pressa do dia-a-dia. Sabe, tem horas que vale a pena chegar atrasado uns minutinhos... Pontualidade demais também mata! [exceto em dias de prova!! rs]

E agora? Bem, agora vou com toda a calma do mundo regressar a minha casinha, andar como quem não quer nada e relaxar um pouco afinal, amanhã tem prova!!


Até a próxima.
=]

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

"Manipulariedade"

"Manipulariedade": se não existe passou a existir! Neologismo meu.
Pra que? Definir o que nos cerca. É tudo tão manipulável.
As pessoas arrumam meios de manipular situações pra se dar bem, doa a quem doer.
Manipula-se informações a fim de se beneficiar com as mesmas.
Manipulam-se pessoas para que tudo seja como querem que seja.

Não vivemos uma liberdade, e sim uma "liberdade".
Não fazemos o que queremos, apenas o que somos induzidos inconscientemente a fazer.
Muitas vezes me irrita isso. Mas é assim que se vive nesse mundo... somos todos guiados pelo cabresto sem saber.

sábado, 13 de setembro de 2008

Os Anjos

Os Anjos

Legião Urbana

Composição: Renato Russo

Hoje não dá
Hoje não dá
Não sei mais o que dizer
E nem o que pensar


Hoje não dá
Hoje não dá
A maldade humana agora não tem nome
Hoje não dá

Pegue duas medidas de estupidez
Junte trinta e quatro partes de mentira
Coloque tudo numa forma
Untada previamente
Com promessas não cumpridas

Adicione a seguir o ódio e a inveja
As dez colheres cheias de burrice
Mexa tudo e misture bem
E não se esqueça antes de levar ao forno
Temperar com essência de espirito de porco
Duas xícaras de indiferença
E um tablete e meio de preguiça


Hoje não dá
Hoje não dá
Está um dia tão bonito lá fora
E eu quero brincar


Mas hoje não dá
Hoje não dá
Vou consertar a minha asa quebrada
E descansar

Gostaria de não saber destes crimes atrozes
É todo dia agora e o que vamos fazer?
Quero voar pra bem longe mas hoje não dá
Não sei o que pensar e nem o que dizer
Só nos sobrou do amor
A falta que ficou

sábado, 6 de setembro de 2008

Tempo... ?!

Entrei aqui hoje planejando escrever sobre uma coisa e acabo escrevendo sobre outra, uma que vêm me afligindo ultimamente (e desde sempre!): O Tempo.
Pra uns ele passa beeeeeem de vagar, pra outros (eu!!!) corre mais rápido que o The Flash.
Essas enrolações com tempo me deixam louca, quando penso que tenho cinco minutos, ma verdade estou cinco minutos atrasada! rs

Essa subjetividade que o tempo tem traz muitas indagações a todos, todas iguais e diferentes ao mesmo tempo.

Quer saber, vivemos presos demais no "tempo", somos tão controlados por ele. Determina a hora de sair, hora de comer, hora de dormir... E pobre de quem desafiá-lo, corre o risco de sofrer as consequências depois.

Minha falta de tempo anda me impedindo de muitas coisas (entre elas escrever aqui)... Mas não me deixo abater, resistir à ditadura imposta pelo tempo é preciso! rs

Mas agora vou indo, já passou da minha hora de dormir e já não tenho mais tempo pra ficar aqui. Qualuer dia que o Sr, Tempo me permitir apareço pra escrever algo decente aqui! rs

quinta-feira, 4 de setembro de 2008