Rancor: tá aí uma coisa que as vezes me assusta. Não serei hipócrita de dizer que nunca guardei rancor, mas a ponto de iniciar uma guerrinha pessoal e invisível já é um pouco demais. A vida anda, as coisas mudam, pessoas vêm e vão, então pra quê guardar tanta raiva? As vezes parece que, para alguns, a felicidade alheia já é ótimo motivo para odiar o outro e apontar os defeitos deste, esquecendo que, muitas vezes, são os seus próprios não que lhe fazem bem. Vai entender a mente alheia! rs

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Uma coisa sobre acreditar.

Acreditar. Coisa que alguns sabem fazer muito bem. Acreditar em tudo: mudanças, atitudes, sonhos, pessoas... acreditar é um coisa muito legal, quando se sabe no que acreditar. Quando não se sabe, passa a ser uma pequena fonte de decepção. Acreditar é algo fácil, mas se você é tolo, acaba acreditando em coisas impossíveis. Não estou dizendo que acreditar no impossível é ruim. Não, muitas vezes acreditar no impossível é o que impulsiona grandes coisas, mas depende do impossível. Troquemos a palavra então: impossível por irreal. Esse sim é perigoso. Contagia com suas possibilidades, cegando, as vezes, para a realidade. Ahh, o irreal as vezes é tão doce... principalmente quando alguém te faz acreditar nele. o perigo reside quando a realidade bate a porta. E tem gente que vê um enorme prazer quando esta se apresenta a alguém, lhe esvaindo as esperanças. Não vou me alongar mais do que isto, mas acho que cheguei uma conclusão: acreditar é para os fortes e sábios, e ai do tolo que arriscar a acreditar, pois corre o risco de se arrepender.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

2010

Até que voltei bem antes do que eu imaginava... Mas é que toda esta época de início de ano e "resoluções de ano novo" me fazem pensar. Até que enfim 1010 começou [o paradoxo é que na faculdade o ano letivo ainda é 2009.2... vai entender.]. É momento de festa, alegria, bebedeira [menos pra mim. Álcool fail], e promessas. Não entendo tantas promessas feitas num único dia, que são esquecidas nos outros 364 dias do ano. Sinceramente, vai gostar de prometer assim lá no raio que o parta do Himalaia.

Não é época de prometer. está na hora de começar a pensar no que fazer, e realmente fazer. Promessas vans... aff. Se todo mundo perdesse menos tempo prometendo e mais agindo as coisas não estariam assim. [Eu mesma, prometi fazer um resumo pra amanhã... fazer é outra história].
Fazer é uma coisa interessante. Fazer as vezes faz a diferença. Reparou que certas coisinhas, por mais bobas que possam parecer, quando não são feitas fazem falta. Ôoo, e que falta. Simples ações contam muito as vezes... Muito mais que qualquer promessa.
2010: O ano da ação [fogos, luzes e tambores rufando]. Que tal tentar?

Só pra não dizer que não fiz promessas de Ano Novo:
Em 2010 prometo ser uma aluna mais dedicada, uma pessoa menos tímida e mais comunicativa, me exercitar com maior freqüencia, ser uma pessoa menos boazinha com todo mundo, ser menos prestativa com quem precisa, fazer o bem sem olhar a quem [eita, paradoxo a vista], ser menos autoritária, e uma professora mais rígida.

Eeeee! Promessas feitas! (esperam sentados que se realizem. Rá!)

Agora sério: Que 2010 seja maravilhosoooo!
E um viva ao ano da Colheita Feliz!

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010