Cidades grandes, espaços pequenos.

Sempre me consideraram bicho do mato por morar longe do centro da minha cidade e do meu estado. Da minha casa até o centro da minha cidade gasto meia hora em transporte público, e pouco mais de uma hora até o centro do Rio. Ainda assim sempre estive satisfeita com o lugar que moro. Não é bonito, mas posso ter uma casa grande, com um quintal espaçoso, uma rua tranquila e uma quantidade razoável de verde em volta. Apesar de ultimamente estar se tornando um lugar violento como qualquer outro aqui no Rio, graças as políticas de "pacificação" que mais espalharam a violência do que resolveram o problema, ainda é de certa forma tranquilo e calmo. As pessoas andam de bicicleta nas ruas (por diversão ou como meio de transporte), vizinhos sentam nas calçadas pra conversar, há ruas onde as pessoas gostam de fazer suas caminhadas e exercícios físicos. Não temos a mesma estrutura de um local de centro (pois é claro que os governos não investem nas periferias como investem em seus centros), mas dá pro gasto.
Ontem indo para a região Norte do Rio, parei em um super-mercado que existe numa saída da Linha Amarela. Eram quase sete da noite, e o estacionamento do mercado estava cheio,... de gente! Diversas pessoas, de diversas idades, fazendo caminhada ou corrida no estacionamento do mercado. Aquela região é bem movimentada, com movimento intenso de carros todo o dia. Não existem praças ou parques verdes ali perto. Na verdade existem dois Shoppings, vários condomínios, e vias expressas constantemente engarrafadas.
Não vou mentir, gosto das comodidades de se estar num grande centro. É tudo tão mais perto e fácil de se resolver. Mas eu não invejo quem mora nesses lugares, nem tenho planos de morar assim. Com as facilidades vem a falta de liberdade e de espaço. De que vale tanta comodidade, se a melhor vista que você vai ter, é a janela do vizinho, o condomínio da frente, ou o espaçoso e pouco verde estacionamento do mercado? Não, obrigada. Estou bem no meu pedacinho de fim de mundo.
Na verdade, até trocaria aqui por um lugar mais tranquilo, mas estes são raridades hoje em dia. Em prol do progresso, tudo leva mais cimento que sentimento, mais asfalto do que árvore, mas prédios do que espaços de lazer. É tudo muito rápido, muito tenso. Apesar de estar inserida nisso, ainda não me acostumei de todo. Sinto falta da calma e da paz. E acho que mesmo que eu passe a viver nisso todos os dias, nunca me habituaria de fato.
Troco essa vida agitada por uma casinha no meio do mato. Alguém aí tem alguma pra me indicar? rs

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

0 Comments: